Páginas

1 de out de 2014

Viralizei

Tá bom, uns sete criadores mais uns vinte simpatizantes não é bem um viral. Mas pra um cara como eu, que voa a cinco metros do chão, ou melhor, que só entra no mar pra surfar sem prancha (ainda quero escrever um post sobre o nome desse blog), é um feito e tanto!

Começou com a história do Totó. A partir de uma inspiração vinda da minha cadelinha Nikita, que nunca late a noite, bolei o primeiro #microconto pro feissibuc e logo em seguida mais dois. A repercussão foi boa e a coisa pegou. Quando eu menos esperava, tinha amigo de amigo de amigo postando microcontos na timeline, quando não em comentários de outros posts, ou achando que qualquer post escrito pudesse ser um microconto.

Imagem meramente ilustrativa. Data de validade no fundo do pote.

O cúmulo mesmo foi hoje quando mandei um torpedo pra minha mãe pra contar do resultado de uma reunião e ela me perguntou se aquilo era um microconto...!

Segue aqui uma série de microcontos que mais gosto. Muitos autores seguiram seus próprios estilos e universos, mas teve gente que não conseguiu se desapegar do meu Totó.

Começo pelos meus do Totó.

Sugiro que você leia os comentários dos posts, porque tem microcontos escondidos neles.